segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Ano Novo...Crise Nova

Como de costume, aponta-se para uma crise em 2009. É apenas mais uma daquelas crises que parecem suceder em Portugal desde o nosso glorioso século XV. Já em 1979, apenas 5 anos depois da revolução, o grande José Mário Branco perguntava na sua epopeia chamada FMI, e que falarei mais vezes futuramente: "Estás desiludido com as promessas de Abril, ?". Passaram 30 anos, e a pergunta continua a fazer sentido e a ser legítima. Do mesmo modo, a resposta continua a ser igual: "Sim, Estamos desiludidos!", dada quase num tom de reza.

Outra preocupação vai para as questões ambientais. O tempo vai passando, e o que se vê é paleio, paleio, e pouca vontade de trabalhar.

Nem tudo é mau. Pela primeira vez em 8 anos, sabemos à entrada do novo ano, que já não teremos mais de ver a figura do Walker do Texas, Bush. Mais do que o facto de Obama ser o próximo, e trazer grandes esperanças a um mundo preocupado, o que devemos realmente festejar é o fim da era Bush, fim que poderia ter sido mais alegre se o célebre jornalista iraquiano tivesse mostrado mais capacidade de tiro e lhe tivesse acertado com uma dessas novas munições chamadas sapatos.

Resta-nos então olhar para o passado recente, os 20 anos sobre 1989, a meu ver um dos anos mais marcantes da 2ª metade do século XX, e analisar como esse passado pode e deve fazer-nos repensar o futuro, num presente que infelizmente não augura nada de bom.

Esperemos, portanto, um bom ano novo. Feliz 2009!

Sem comentários: