quarta-feira, 8 de abril de 2009

Aïda

Parte dos meus gostos musicais situam-se no domínio da música erudita, e foi nesse âmbito, mais precisamente no da ópera, que passei uma boa noite, ontem, no grande Coliseu da nossa Invicta.

A ópera foi a Aïda, uma das obras-primas do Giuseppe Verdi, um dos reis da ópera, (fez 37 durante a vida!), estreada no Cairo em 1871. Conta com passagens musicais famosas (no jogo do Porto em Manchester ouviu-se uma dessas passagens a ser entoada pelas claques), para além de ser, talvez, cenicamente, a ópera mais impressionante alguma vez realizada, muito pela temática forte do Antigo Egipto. A meu ver, a performance foi muito boa, mas o que mais me marcou foi a componente visual imponente.

Sem comentários: