quinta-feira, 17 de setembro de 2009

A Basterd's Work is Never Done

Mais um grande filme do Quentin Tarantino. Um filme fabuloso e absolutamente imperdível, apesar de não atingir, a meu ver, a obra-prima Pulp Fiction. A alternância nas línguas do filme é um dos seus pontos fortes, bem como a performance do Christoph Waltz, que fala quatro idiomas (bem merecido o prémio que ganhou para melhor actor em Cannes, aliás, não chega, pois merece um Óscar), e que se apresenta como um dos actores principais do filme, juntamente com a lindíssima Mélanie Laurent, que representa muito bem o papel de Shosanna. Já o Brad Pitt é Aldo Raine que lidera um grupo de judeus norte-americanos, os "Basterds", que fazem uma e uma coisa apenas, matam nazis, pagando ao seu líder em escalpes. A este filme falta um pacing mais consistente, pois tem algumas falhas na fluidez, e juntamente com isso, tem um soundtrack, que, apesar de bom em alguns momentos, não é tão forte quanto o habitual nos filmes dele, e esse habitual costuma ser algo quase perfeito, como as bandas sonoras dos já falados Pulp Fiction ou Reservoir Dogs, daí as expectativas serem tão altas altas relativamente a algo tão típico e importante nos filmes dele como o soundtrack. No geral, um filme de guerra, de vingança, algum e bom humor, tudo numa só película, num dos melhores argumentos do Quentin, e que faz deste um grande filme, e um dos filmes mais completos que me lembro de ver.

2 comentários:

Anónimo disse...

Tarantino sempre a rolar ;) eheheheheh
Beijinho, Inês

Crazy Diamond disse...

Claro! He's the best.
Beijinho.