sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Smells in the morning

Há uns tempos atrás falei no cheiro de bolachas. E agora vou falar de outro. A personagem do Robert Duvall, da qual não me recordo o nome, no grande filme 'Apocalypse Now', do Francis Ford Coppola, disse numa frase icónica que se tornou lendária, que 'adorava o cheira a napalm pela manhã'. No século XXI eu digo que adoro o cheiro a corte de despesa pela manhã. Por várias vezes se noticiou ontem na comunicação social que hoje iríamos sentir esse cheiro, numa perfumaria perto de si, num address capitaneado pelo Minister of Finance. Pela manhã, constato que se devem ter enganado na essência: o primeiro corte de despesa foi o aumento do IVA na electricidade e no gás. Enfim, algo normalíssimo ocorreu. Distinguir os cheiros de patchouli e de gás só está ao alcance de personagens tipo aquela do livro do Patrick Süskind.

Sem comentários: