domingo, 20 de setembro de 2015

Episódios

Não vi o jogo hoje. Tive um baptizado em Fátima. Ao voltar para cima, por volta das duas da tarde, indo a caminho da Mealhada para os leitões, eis que passa a nossa camioneta axadrezada indo para baixo, com destino a Coimbra. Pedi a alguém um telemóvel com internet ao intervalo para ver o resultado do jogo. E pedi-o outra vez no final para ver resultado definitivo. E fiquei contente. Não vi o jogo, mas depois da derrota injusta da última jornada, já merecíamos uma vitória. Vamos em frente pá!

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Eleições

As eleições aproximam-se e ainda não sei bem em quem irei votar. Confesso que contemplo mais do que nunca a possibilidade de votar e branco, se bem que isso não serve de muito. O melhor seria mesmo não votar, mas também devo confessar que isso me traz um certo remorso ao pensar num povo que não pode votar durante tantos anos, e por isso não o farei e irei votar. Essa possibilidade de votar em branco passa-me cá dentro do meu espírito com cada vez mais frequência. Não voto nem na coligação dos pifs ou pafs nem no ps, que enterraram Portugal. Tirando isso, só me resta o voto à esquerda, protestando, no pc ou no moribundo bloco, que até me traz mais simpatia agora do que há algum tempo atrás em que alinhava numa esquerda apatriótica, com a qual eu não me identifico, e me fez tender para o voto no pc, tirando uma vez, em que votei bloco, e a última eleição para a câmara do Porto, uma eleição bastante específica, em que fruto das circunstâncias votei em duas candidaturas diferentes nos três órgãos a eleger. Ora bem, ainda faltam algumas semanas, a ver vamos se a ideia do voo em branco cresce na minha cabeça e se não será mesmo essa a minha decisão final.

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Injustiça

O futebol é injusto muitas vezes, tal como a vida também o é para certas pessoas muito frequentemente. Não merecíamos empatar, quanto mais perder. Controlámos e praticámos o melhor futebol mesmo jogando com 10, com empenho total, determinação, futebol bem jogado, objectivo para tentar chegar à baliza adversária. Os erros no futebol às vezes no futebol transformam-se em grandes injustiças, a começar por um certo desperdício que nos impediu de ganhar o jogo. É injusto para nós todos, boavisteiros, mas ainda mais injusto será para os jogadores, pois eles, melhor do que ninguém, sentiram que estavam por cima do jogo, que jogaram melhor e que mereciam ganhar, e, em última instância, são eles que mais sentem a derrota e a tristeza associada a uma derrota destas, totalmente injusta. Por isso merecem apoio total, com a certeza de continuarem a trabalhar, que a injustiça não dura sempre. Coragem, vamos em frente.

terça-feira, 8 de setembro de 2015

Ser Solidário

Hoje decidi voltar a um dos grandes discos de sempre, na minha opinião, da música portuguesa: 'Ser Solidário', José Mário Branco, de 1982. Um dos maiores cantautores portugueses com uma das suas melhores criações. Um álbum incrivelmente ecléctico, conforme se pode constatar desde logo pela primeira música, intitulada 'Travessia' que começa de modo muito acústico e rapidamente se transforma num rock/blues soberbo. Este álbum é mesmo de uma variedade impressionante, com o quase jazzístico 'Inquietação', com fado, a marcha popular 'Qual é a tua, ó meu?, e muito mais. Um álbum excepcional.