terça-feira, 6 de dezembro de 2016

O Xadrez

Ontem, não gostei do que vi. Se o objectivo é o que é, conseguir a manutenção com alguma folga, principalmente para evitar a situação em que caímos no final da primeira volta da época transacta, que na nossa primeira época até nos safámos bem e a manutenção ficou garantida ainda com alguma tranquilidade com três ou quatro jogos por jogar, temos de fazer muito mais. Tenho confiança no Miguel Leal, tal como também tinha no Sánchez, no futebol não há milagreiros, para além da convicção que tenho de que os que mais fizeram para que o Sánchez saísse, com atitudes lamentáveis, serão também os primeiros a dizer que o Miguel Leal deve sair. A ponderação e a inteligência, sobretudo a ponderação para ver o futebol e perceber que as coisas não são assim, não é tirar um para por um milagreiro, onde só os cândidos conseguem ver milagres, mas sim tirar um para pôr outro, provavelmente bom, mas que não é, claro, milagreiro. Só tem de se exigir trabalho. Continuo a achar que esta época tem tudo para ser uma em que cumprimos completamente os objectivos. Haja apoio dos adeptos, haja ponderação da parte destes, inteligência. E haja trabalho de quem manda. Temos de melhorar, e podemos melhorar. Aliás, até prova em contrário, estamos a melhorar há já alguns anos.
P.S.: Nunca é demais lembrar que o Boavista merece respeito, e temos de exigir este respeito. É inacreditável como em Portugal se respeita mais o totó que nunca ganhou nada do que aqueles que de facto se afirmaram como mais relevantes dos pequenos, o Boavista, e claro, o Belenenses. A razão é sempre a mesma, pois o Boavista chateou tanto os grandes, por razões óbvias, como os outros pequenos, que no fundo da sua mediocridade e incapacidade para fazer alguma coisa de relevante, detestam quem o conseguiu (a inveja que o Camões já tinha referenciado), o Boavista.

Sem comentários: